Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Músicas recentes:
Veja as músicas que já tocaram por aqui.
Fale conosco via Whatsapp: +

VALORANT: Biggie, sobre Hero Base: “Objetivo é chegar nas franquias”

Publicidade AD

Últimos eventos

Publicidade AD

Por Thulio Bastos  | Em 02 de abril de 2024 Fonte: Gamearena

 

Na segunda e última parte da nossa entrevista com João ‘Biggie’, o CEO da Hero Base falou um pouco sobre como foi a entrada da organização ao VALORANT. Ele enxergou como uma “oportunidade” fazer o caminho contrário de grandes organizações.

Estamos muito felizes no VALORANT, porque temos certeza que acertamos na line, nos jogadores e uma das nossas grandes preocupações era como a gente criaria e produziria conteúdo em torno disso. E tem sido muito interessante, porque todo mundo da line é muito resenha, são pessoas muito divertidas, muito engraçadas e a gente está muito feliz, porque conseguimos juntar o que a gente acredita que é a receita certa para o sucesso.” – disse.

Biggie também falou sobre o qual o objetivo da organização no cenário competitivo. Sem titubear, ele afirma que é chegar nas franquias e se mostrou confiante para o time bater campeão do Ascensão no fim do ano.

Acreditamos muito e o nosso principal e maior objetivo é, sim, conquistar e chegar nas franquias. A gente vai jogar o Ascensão e estamos com o time favorito do público e historicamente também, o time que mais tem uma probabilidade de vencer, a line vice-campeã brasileira. Então, nosso objetivo vai além desse campeonato nacional, mas o Ascensão para conquistar de fato a vaga para as franquias.” – afirmou.

Finalizando o assunto VALORANT, Biggie afirmou que o que mais atraiu a Hero Base é que o FPS da Riot Games tem um público muito grande e apaixonado pelo jogo e comparou ao Rocket League.

O VALORANT tem um público muito grande, muito apaixonado pelo game. Temos hoje, com o Rocket League e o VALORANT, o sentimento de ser uma organização e de ter um público apaixonado por torcer para aquilo que de fato acreditam. Então, estamos bem felizes com os movimentos e agora é buscar colocar todo o nosso planejamento e criar grandes comunidades a partir dos cenários. E esse é o nosso trabalho em 2024.” – contou.

Entrada no Rocket League

Antes de falar sobre o Rocket League, Biggie foi perguntado sobre como é o processo de entrada em cenários competitivos de uma organização. Ele revela que cada uma tem seu estilo e que a Hero Base tinha o objetivo de expandir para outras modalidades.

A gente tinha uma previsão anual e interesse em entrar em pelo menos dois novos cenários nesse ano, e a oportunidade bateu na porta. É um momento de queda, onde todo mundo está desacelerando, e eu tenho uma visão muito clara, que é justamente nesses momentos que as melhores oportunidades nascem. Geralmente, quando as pessoas apertam o freio, que grandes oportunidades aparecem e batem na nossa porta. Pegou a gente de surpresa também, entramos recentemente no Rocket League, temos muito trabalho pela frente, com dois grandes jogos.” – revelou.

Agora sobre o jogo, Biggie acredita que a Hero Base pode se tornar base de uma grande comunidade do jogo no Brasil, já que fora do país, a popularidade é gigante.

Cada organização se comporta de um jeito diferente nesse sentido. Sempre buscamos olhar para como o jogo é reconhecido. Muitas vezes, aqui no Brasil, outras vezes, lá fora, olhando uma oportunidade de trazer e criar algo diferente aqui no país. E o Rocket League se encaixa mais nessa estratégia. É um jogo que é muito forte na Europa, de streamer que coloca mais de 40, 50 mil acessos simultâneos em uma final de campeonato. Então é um jogo que ele tem um grande apelo e é muito fácil.” – contou.

Biggie pontuou os dois fatores primordiais que fizeram a Hero Base investir no cenário, o relacionamento com a Epic Games desde o Fortnite e também o fácil entendimento com relação ao jogo.

O Rocket League é um jogo que faz sentido para a gente. Primeiro porque também é da Epic Games, e estamos acostumados e gostamos de trabalhar com a publisher. Segundo que é muito fácil de entender, de compreender. No final das contas ele é um futebol de carros, você tem que fazer gols. Então, qualquer pessoa que assista cinco minutos do game, entende, diferente de um League of Legends, que você precisa de um pouco mais de contexto para assistir.” – afirmou.

Concluindo o tema, Biggie diz que a Hero Base trouxe o principal criador de conteúdo do Rocket League no Brasil como parte da estratégia para criar uma identidade com o cenário.

Sendo um jogo de fácil consumo, a gente acredita que vai ser muito fácil criar conteúdo e uma comunidade a partir disso. E a gente visualiza isso com bons olhos. Trouxemos dentro da nossa estratégia o maior criador de conteúdo do game que é o Firewall, um cara gigante, o mais admirado pela comunidade, que tem os maiores números. Estamos com uma estratégia bem legal de criar essa comunidade, criar muito conteúdo e entregar isso junto com todo o nosso planejamento competitivo.” – disse.

Hero Base em outros cenários

Perguntado sobre o que esperar da Hero Base no futuro, o CEO disse que, ainda em 2024, teremos grandes anúncios da organização e que o foco é não parar por aqui.

Teremos grandes anúncios ainda dentro desse ano. Grandes mesmo. Não posso falar e me comprometer a respeito de novas modalidades, mas desde o início temos intenção de criar comunidades e não podemos atropelar o processo. Acreditamos que precisamos fazer um bom trabalho no Rocket League e no VALORANT, mas não para por aí, as pessoas que torcem e acompanham a Hero Base, com certeza vão ver grandes novidades no futuro.” – contou Biggie.

Concluindo, Biggie afirmou que jamais falará não para uma oportunidade e, se no futuro fizer sentido, a Hero Base estará em demais cenários competitivos.

Eu nunca vou dizer um não, porque a gente está sempre aberto a oportunidade e entra naquilo que visualizamos como oportunidade. Se aparecer uma oportunidade de algum jogo bacana que faça sentido para a organização, que a line faça sentido, que exista investimento, público e tudo conciliar e casar para acontecer, com certeza a gente vai estar ali.” – finalizou.

Deixe seu comentário:

Regulamento geral de proteção de dados

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD,  CPRA, GDPR, Espaço Econômico Europeu EEE)

© Web Rádio PQP 2008 – 2024

Equipe

Política de Privacidade
Termos e Condições
Política de Cookies